A chef  Mariana Correa, da La Parisserie, em Belo Horizonte, foi convidada para cozinhar no Château de Gudanes, hotel de luxo que fica nas redondezas de Toulouse, na França.  A  convite da gerente de negócios do hotel, a chef Pâtissière norte-americana Molly Wilkinson, Mariana fará uma grande mesa de doces para um casamento que será realizado no hotel dia 2 de junho.

A chef Mariana Correa   Foto/Divulgação

As duas chefs se conheceram quando estudaram juntas na escola Le Cordon Bleu, em Paris, e sempre mantiveram contato pelas redes sociais. Após uma temporada nos EUA, Molly voltou à França e passou a integrar a equipe do Château de Gudanes. “Estávamos fazendo toda a negociação sobre o estágio de Larissa, quando ela me contou que o castelo estava abrindo para casamentos e um casal exigiu uma imensa mesa de doces. Foi então que ela me convidou para ajudá-la nos preparativos, para fazermos uma confeitaria surpreendente”, lembra Mariana.

A universitária Larissa Mamprim   Foto/Divulgação

A estudante de gastronomia Larissa Mamprim, estagiária da La Parisserie, foi entrevistada pela proprietária do castelo e pela chef Molly e fará uma imersão de dois meses na cozinha do castelo.

“O Château de Gudanes recebe hóspedes durante o verão, no estilo all inclusive, com pacotes de 3 a 7 dias que incluem várias atividades, refeições e passeios. Eu vou trabalhar principalmente na confeitaria, mas todos ajudam em todos os preparativos e atividades do castelo como uma equipe, para dar uma experiência sem igual aos hóspedes.”, conta a universitária.

“O local, por si só, é de tirar o fôlego. Mas, profissionalmente, é um reconhecimento e também uma oportunidade única. Já estamos discutindo algumas receitas e pretendo levar um pouco dos nossos sabores para a França também”, diz Mariana, que ficará no país duas semanas.

O castelo

O Château de Gudanes foi inicialmente construído como uma fortaleza, nos anos 1200. Depois de sofrer ataques durante séculos, ele passou por várias reformas até se tornar definitivamente uma residência no século XVIII. O prédio foi passando de geração em geração, em uma única família, até ser comprado por um sindicato local em 1989. A ideia era fazer um hotel de luxo, mas o Ministério da Cultura francês impôs uma série de restrições às obras e o edifício foi praticamente abandonado.

Há cerca de cinco anos, uma família australiana comprou o castelo e iniciou as reformas para a restauração, retomando o projeto do hotel. Desde 2016, o Château de Gudanes recebe hóspedes interessados em viver uma experiência gastronômica e cultural, com o melhor do bom gosto francês.

A recuperação do castelo e as atrações que ele oferece aos visitantes já receberam destaque na revista Vogue e no jornal Financial Times, além de publicações de turismo em toda Europa.