Estrias! Para algumas pessoas a palavra pode ser não muito bem-vinda. De acordo com Stephane Ellen, esteticista e cosmetóloga, as estrias surgem quando as fibras elásticas e colágenas [responsáveis pela firmeza da pele] se rompem.

“O aspecto das estrias iniciais são lesões lineares rosadas ou cor da pele, deprimidas ou discretamente elevadas e, na fase tardia, brancas com espessura e largura variáveis, sendo mais frequentes no bumbum, coxas, abdômen e costas”, explica.⠀

A boa notícia é que o mercado não se cansa de inovar e tem tratamento eficaz. A tatuagem para estrias apelido que costuma ser dado para este tipo de dermopigmentação – é uma técnica que está ganhando espaço entre quem deseja se livrar das marquinhas.

“A dermopigmentação é uma tatuagem que faz com que as estrias fiquem imperceptíveis, camuflando em até 90%. Este tratamento tem como objetivo pigmentar as estrias com os tons mais próximos da pele, escondendo as linhas brancas, deixando-as mais suaves, como uma verdadeira camuflagem.”

A dermopigmentação faz com que as estrias fiquem imperceptíveis, camuflando em até 90%   Foto/Pedro Carvalho

Stephane ressalta que o número de sessões vai de acordo com a necessidade, mas o procedimento é rápido e o número de sessões é mínimo. “Com uma sessão já é suficiente e, se necessário, um retoque nas estrias. O resultado é eficaz e duradouro. Após o procedimento, depois de 10 a 15 anos que a pessoa retorna para fazer um retoque”, diz.

Cuidados após o tratamento:

Manter a pele sempre hidratada. Não comer carne de porco, pimenta, chocolate, frutos do mar e amendoim por 12 dias. Não entrar na piscina, sauna, praia por 20 dias. Não fazer atividade física por 7 dias. Não tomar sol por 60 dias. Não tomar banho em água quente por 30 dias.

A maior restrição é a ingestão do consumo de betacaroteno, alimentos e bebidas de coloração escuras durante 20 dias. Exemplo: vegetais e frutas de forte tom amarelo/laranja e vegetais de folhas escuras como cenoura, caqui, manga, damasco seco, acerola, batata doce, abóbora, beterraba, agrião, pimentão, entre outros. Esses alimentos estimulam a melanina e não são recomendados nesse período de cicatrização. Pois a pele ao regenerar, pode reestruturar com uma cor amarelada ou acinzentada.

Contraindicações

As principais contraindicações para realizar a técnica são: pessoas que têm queloide, diabete tipo 5, hemofilia, gestantes, patologias de pele, alergias, quem realizou tratamento recente com roacutam e peles bronzeadas (pode fazer o procedimento após 15 dias).

Instagram: @stephaneellen.