A London Fashion Week (fall/winter, 14 a 18 de fevereiro) mantém sua verve de lançar e apoiar novos nomes do designer britânico – Vivianne Westwood e Steve McQueen ganharam o mundo no circuito alternativo do evento – e também de ostentar um line up de marcas top. Christopher Bailey, na nova coleção Burberry (desfile em 17 de fevereiro), já deixou peças desejo na passarela, entre elas, a bolsa, grande e compacta, confeccionadas em couro com estampa ou com aplicações de prints tribais e florais, entre outros que remetemà coleção, inspirada no Bloomsbury,  grupo inglês formado em Charleston, por nomes da literatura e das artes, como Virginia Wolf e Vanessa Bell.  Entre os vários modelos de bag, homenagens a Londres, com estampas de mapas da cidade e símbolos da capital – como a London Eye.

SITE BurberryFall2015SiteMarcaDesfile5SITE  BurberryFall2015t6SITE  BurberryFall2015SiteMarcaDesfile2

 

 

 

 

 

 

 

Há duas temporadas,  Bailey, diretor criativo, metalizou o trench coach – ícone da grife inglesa, em edições glamourizadas de pink e azul. Para o inverno 2015, o designer celebrou as artes decorativas, criando um patchwork de texturas e estampas florais, tribais, geométricas. Além dos casacos 7/8, de golas mais exuberante e shape seco, o icônico trench coat ganhou estampas estilizadas, como as de folhas, pintadas a mão nos tecidos de gabardine em nude e tons do deserto.

SITE  BurberryFall2015yO  xadrez, outro símbolo da Burberry, ficou de fora da passarela.  Christopher Bailey mostrou uma coleção também com looks surpreendentemente leves, vestidos fluidos e vaporosos, de shape longilíneo, fendas reveladas no andar e comprimento abaixo do joelho. Cores claras – rosa e verde especialmente – tons mais intensos, como o verde-oliva profundo, azul escuro, marrom, alaranjados quentes e pinceladas de vermelho, além do mix de estampas inspirados também em tapeçarias.

Além das belas it bags, os xales (usados sobre um ombro só) e os lenços imensos, dando delicadeza a algunslooks – prometem também derreter corações fashionistas (e contemporâneos), ou servir de inspiração para produções do nosso inverno tropical. Para o intenso frio londrino, jaquetas de couro, forradas com lã angorá – que também apareceu em alguns casacos – e peças em cashmere escocês. (As imagens da matéria são do site da marca – burberry.com – acesse e assista o desfile, com trilha sonora ao vivo, com os músicos britânicos Paloma Faith, Ed Harcourt e Rhodes, com a opção de baixar no iTunes). Beth Barrabethbarramoda@gmail.com

Brasil integra mostra paralela com “Penta”

Além dos desfiles principais no Royal Albert Hall, a London Fashion Week teve projetos paralelos e mostrou trabalhos de jovens estilistas no projeto International Fashion Showcase, que nesta edição de inverno ganhou uma exposição brasileira – a Penta.

O nome é uma referência à Copa do Mundo no Brasil e aos cinco designers participantes –  Guilherme Vieira, Fernando Jorge e Vitorino Campos, além de Barbara Casasola e Lucas Nascimento. A iniciativa envolve a Associação Brasileira de Estilistas (Abest) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) na embaixada brasileira em Londres.

Barbara Casasola, a gaúcha que fez seu segundo desfile no line up de londrino, tem um trabalho com referências na alfaiataria masculina, apresentou uma coleção de cortes impecáveis, peças estruturadas e com movimento,além de uma cartela ora com cores sóbrias (cinza e preto), ora explorando tons quentes do inverno.  Lucas Nascimento, que desfilou dia 15 na tenda principal, já pode ser considerado um veterano na fashion week de Londres. O estilista, do Mato Grosso do Sul, apresentou uma bela coleção, mixando materiais como couro e tricô, rica de texturas e inspirada na Nova York e a vida noturna da década de 70.

Outro nome brasileiro no line up oficial foi ode Mariana Jungmann, jovem estilista goiana estreante em Londres. Seu desfile foi em 14 de fevereiro, com uma coleção inspirada nas memórias da infância. Mariana é uma das dez  formandas do prestigiado London College of Fashion e deve permanecer em Londres. O projeto da promissora designer é lançar sua marca própria e ter seu QG criativo na cidade.