Há muitos artigos, entrevistas e livros que dão enfoque às características de psicopatas, contudo, quase ninguém aborda o assunto  de forma clara sobre o  que acontece com a vítima e como se cai nessa armadilha. Pensando nisso, a psicanalista Júlia Bárány escreveu o livro “O Mal disfarçado de Bem” (Barany Editora). Trata-se de um manual de sobrevivência para aqueles que chegaram ao fundo do poço, porém estão prontos para recomeçar a vida longe dos abusos.

“A vítima precisa se transformar em sobrevivente. Sobrevivente se cura, vítima não. Sobrevivente já conseguiu manter a cabeça fora da água e se agarrou a alguma tábua ou encontrou algum lugar para pisar. Nessas horas é fundamental a compreensão, informação, uma mão amiga, um colo aconchegante. É fundamental também o cuidado com a saúde física, pois todo esse estresse e toda essa tortura psicológica cobram do corpo. Se chegou ao fundo do poço, agora só tem um caminho: a subida. Poço é uma imagem semelhante ao canal de nascimento, você precisa nascer de novo”, conta Júlia.

PSICOPATA (2)

A psicanalista Júlia Bárány   Foto/Divulgação

Na classificação de doenças, CID-10, a psicopatia é definida como “distúrbio de personalidade dissocial”, com a classificação F60.2. Segundo Júlia, o indivíduo psicopata sabe exatamente o que está fazendo, mas não possui emoções verdadeiras, apenas finge. “Psicopata é um estado de ser no qual existe um excesso de razão e ausência de emoção. Ele sabe o que faz, com quem e por quê. Mas não tem empatia, a capacidade de se colocar no lugar do outro e muitas vezes finge ter”, revela a psicanalista.

Na família, no grupo social e no ambiente profissional, o psicopata entra em cena para localizar alvos interessantes para manipular, sugar e servir aos seus propósitos: poder e controle. Existem várias outras características comuns entre eles, saiba como identificar:

Carisma, sedução, charme superficial [discurso sedutor]. Loquacidade [só ele fala, pouco importa os outros]. Bajulação [o seu alvo vira o centro de suas atenções]. Manipulação [usa informações confidenciais e dados do outro para manipulá-lo]. Vítima eterna [a culpa jamais é dele, sempre do outro, e ele quer evocar compaixão nos outros para usá-los a seu favor]. Lágrimas de crocodilo [finge emoções humanas, mas não as tem]. Desconsideração absoluta pelos sentimentos dos outros.  Justificativas desnecessárias para fatos e circunstâncias. Ausência de remorso ou arrependimento. Não aprende com o erro.  Aprende sobre os funcionamentos da alma humana nos mínimos detalhes para usar essas ferramentas na manipulação e na enganação dos outros. Impulsivo, estourado, como animal. Sente raiva, frustração, tédio.

capa I Manual de sobrevivência.indd

Sobre Júlia Bárány: Psicanalista formada pela Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa, em Educação Artística pela FAAP e em Pedagogia Waldorf pelo seminário da Escola Rudolf Steiner. Mestranda em Psicologia Transformacional. Estudou letras na USP, na PUC de Curitiba e do Rio de Janeiro, além de literatura e filosofia na Cleveland State University, em Ohio, USA. Tornou-se sócia-fundadora, editora, diretora editorial e tradutora na Editora Mercuryo e atualmente na Barany Editora. Em paralelo estudou assuntos ligados a metafísica, saúde e bem-estar como dança folclórica, biodança, dança do ventre, mandalas e desenhos terapêuticos.

A autora é membro fundadora da ONG Superasas – Psicopata entre Nós – que junto a uma equipe de profissionais ajudam sobreviventes em casos de exploração e abuso, e passam seus conhecimentos da área médica, terapêutica, jurídica e social.

Sobre o livro:

O Mal disfarçado de Bem – Manual de sobrevivência para vítimas de psicopata
Autor:
Júlia Bárány. ISBN: 978-85-61080-67-9. Assunto: Psicologia, autoconhecimento, vítimas de psicopatas. 224 Páginas. Preço: R$52,00. Editora Barany, 2017. www.baranyeditora.com.br

Serviço:

Onde encontrar? Livraria Saraiva, no shopping Diamond Mall: Av. Olegário Maciel, 1600, Lourdes, Belo Horizonte/MG