SPFW Alexandre H221ESSEMarilyn Monroe, a atriz mais midíatica do século 20 foi a principal inspiração de  Alexandre Herchcovitch, que desfilou seu verão 2015 na 37ª edição do SPFW na terça, 1 de abril, às 11 horas, na Oca – Parque Ibirapuera. O designer apresentou  looks “divas” em uma releitura das década de 50 e início dos anos 60. Trench coats, casacos, saia-lápis, vestidos delineando as curvas, comprimento nos joelhos, fendas sutis – como na saia em denim com abertura frontal. Uma coleção para mulheres adultas, com peças intercambiáveis e linkada à vida real, sem cair no óbvio da mulher fatal e do clichê.  E nada de tops em style bombshell na passarela: o estilista criou referências sutis e contemporâneas.

O toque irreverente de Herchcovitch aparece em alguns looks com laços gigantescos, no preciosismo de shapes aparentemente simples, mas que exigem técnica perfeita para que a roupa ganhe movimento e acompanhe o corpo. Os vestidos – os modelitos em rosa evocam a cor que Marilyn usou em uma das cenas de Niagara – modelam as formas sem exageros.

Lindos os casacos e trenchs em tons de cáqui, que podem continuar compondo produções do inverno. Uma coleção elegante e investimento para várias temporadas, com cartela de cores em gamas de cáqui e tons do deserto, variações de azul – o soberbo Klein -, entre eles, laranjas e vermelhos, off white e branco. Os looks em preto, mais sensuais e bem contemporâneos, incluem top em combo com saia-lápis e milímetros de barriga à mostra, edições em tomara-que-caia.

A gente amou os looks com estampa quadriculada em tons clarinhos; as calças com tornozelos à mostra, os óculos gatinhos (MM usou um modelo incrustado de diamantes em Como Agarrar um Milionário, de 1953). Quer mais? Os sapatos com plataforma e amarração com tecidos – em branco, preto, laranja, além dos tecidos com efeito resinado, trazendo a silhueta diva do cinemão para o século 21. Os tecidos evidenciam a sofisticação da collection com organza bordada, cetim, seda rústica, cashmere de seda e peças de resistência confeccionadas em algodão, couro, gabardine.

Look queridinho: as produções com casacos e trench-coats em edição ladylike, entre o style militar e o clássico – lembrando que Marc Jacobs, em sua última coleção, adicionou saias bailarinas em tule e frufrus a jaquetas, trench e casacos em oliva.

SPFW Alexandre H4SPFW Alexandre H30SPFW Alexandre H19SPFW Alexandre H16

 

 

 

 

 

 

 

 

SPFW Alexandre H3SPFW Alexandre H21SPFW Alexandre H20SPFW Alexandre H11

 

 

 

 

 

 

 

 

Andar ondulante, lábios vermelhos

William Travilla foi o figurinista que mais trabalhou com a bombshell, assinando os looks de oito filmes de Marilyn – entre eles o guarda-roupa para Gentlemen Prefer Blondes (1953).  Ela escolhia peças que, sim, aumentavam o poder de sedução da atriz, mas eram absolutamente classudos.

Fora dos sets, a bela continuava sensual, mesmo adotando roupas  simples e confortáveis – óculos escuros, trench coat, pulover, calças capri, tailleur. Além de camisas brancas e saia-lápis, poucas joias e salto alto. Mas a diva ainda intriga pelo poder que vinha de seu andar ondulante, da boca vermelha, entreaberta e sutilmente umedecida,  o olhar cativante e misterioso.

Em 2012, quando dos 50 anos de sua morte, ocorrida em 5 de agosto de 1962, Marilyn estampou o cartaz do Festival de Cannes, ganhou exposições e o reconhecimento de que muito além dos cabelos platinados existiu uma mulher inteligente, sensível e autora de textos intrigantes sobre a vida. Por Beth Barrabethbarramoda@gmail.com

MM8999999MMniagaraValeMMPinceOPrincipe3valeMMPceadoMoraAoLado4

(Fotos/Desfiles  – agência Fotosite; Fotos/Marilyn – doctor.macro.com)