Nos dias 14 e 15 de março de 2019, na Sala Minas Gerais, a Orquestra Filarmônica celebra o centenário do brasileiro Claudio Santoro com a obra Brasiliana, e os 150 anos de Albert Roussel, com a estória de Baco e Ariadne, op. 43: Suíte nº 2. Como convidado, o violoncelista basco Asier Polo volta à Orquestra para interpretar o Concerto para violoncelo em si menor, op. 104, de Dvorák. A regência é do maestro Fabio Mechetti.

 O Violoncelista Asier Polo      Foto/Noah Shaye

Antes das apresentações, entre 19h30 e 20h, o público poderá assistir aos Concertos Comentados. A convidada desta semana é Elise Pittenger, professora de violoncelo na Universidade Federal de Minas Gerais. Estes concertos são apresentados pelo Ministério da Cidadania e Governo de Minas Gerais e contam com o Patrocínio da ArcelorMittal por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Repertório:  

Brasiliana Claudio Santoro (Manaus, Brasil, 1919 – Brasília, Brasil, 1989). A peça segue o modelo barroco dos três movimentos Allegro/Adagio/Allegro. Sua estreia ocorreu em 1958, com a Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, sob regência do próprio compositor.

Baco e Ariadne, op.43:Suíte nº 2 (1930) Albert Roussel (Tourcoing, França, 1869 – Royan, França, 1937). O opus 43 de Roussel é um clássico exemplo do estilo do compositor, em que as suas habilidades teatrais e sinfônicas alcançam igual competência. A obra estreou em 22 de maio de 1931 na Ópera de Paris, coreografada por Serge Lifar. Idêntica ao segundo ato do balé, a Suíte nº 2 começa com o acordar de Ariadne.

Concerto para violoncelo em si menor Antonín Dvorák (Nelahozeves, República Tcheca, 1841 – Praga, República Tcheca, 1904) e Concerto para violoncelo em si menor, op. 104 (1894-1895). O Concerto para violoncelo em si menor, op. 104 foi composto por encomenda do famoso violoncelista Hannus Wihan, durante o inverno de 1894-1895. A estreia ocorreu em Londres, em 19 de março de 1896, com o violoncelista Leo Stern (mais tarde, o próprio Wihan tornou-se um célebre intérprete da obra).

Maestro Fabio Mechetti 

Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais desde sua criação, em 2008, Fabio Mechetti posicionou a orquestra mineira no cenário mundial da música erudita. Além dos prêmios conquistados, levou a Filarmônica a quinze capitais brasileiras, a uma turnê pela Argentina e Uruguai e realizou a gravação de oito álbuns, sendo três para o selo internacional Naxos. Natural de São Paulo, Mechetti serviu recentemente como Regente Principal da Filarmônica da Malásia, tornando-se o primeiro regente brasileiro a ser titular de uma orquestra asiática.

Fabio Mechetti é Mestre em Regência e em Composição pela Juilliard School de Nova York e vencedor do Concurso Internacional de Regência Nicolai Malko, da Dinamarca. Continua dirigindo inúmeras orquestras norte-americanas e é convidado frequente dos festivais de verão norte-americanos, entre eles os de Grant Park em Chicago e Chautauqua em Nova York.

Asier Polo

Asier Polo nasceu em Bilbao, na comunidade autônoma do País Basco, Espanha, onde desde cedo começou a se destacar entre os violoncelistas mais importantes de sua geração. Aperfeiçoou-se com Elisa Pascu, María Kliegel e Ivan Monighetti.

O músico Asier Polo        Foto Noah Shaye

É detentor de vários prêmios, como o Ojo Crítico pela Radio Nacional da Espanha (2002) e o Prêmio Fundação CEOE de Interpretação Musical (2004). O músico gravou para selos importantes, como Claves, RTVE, Marco Polo e Naxos, executando peças de compositores como Usandizaga, Villa-Rojo, Escudero e Rodrigo. Atualmente, é professor no Centro Superior de Música del País Vasco.

Serviço:  

Filarmônica de Minas Gerais recebe o violoncelista Asier Polo

Série Presto:  14 de março de 2019, quinta-feira, às 20h30

Série Veloce: 15 de março de 2019, sexta-feira, às 20h30

Local: Sala Minas Gerais. Rua Tenente Brito Melo, 1090, bairro Barro Preto, Belo Horizonte/MG

Ingressos: R$ 46 [Coro] R$ 52 [Balcão Palco] R$ 52 [Mezanino], R$ 70 [Balcão Lateral], R$ 96 [Plateia Central] e R$ 120 [Balcão Principal] R$ 140 [Camarote par].  Amex, Aura, Redecard, Diners, Elo, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron são os cartões aceitos.  Ingressos comprados na bilheteria não têm taxa de conveniência. Meia-entrada para estudantes, maiores de 60 anos, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência, de acordo com a legislação.

Informações: 31 3219-9000 ou www.filarmonica.art.br