Evelyn Glennie, uma das maiores percussionistas de todos os tempos, se apresenta pela primeira vez com a Filarmônica de Minas Gerais nos dias 29 e 30 de novembro, na Sala Minas Gerais.

A percussionista escocesa traz a sua genialidade e exuberante técnica a Belo Horizonte para apresentação do concerto Veni, veni, Emmanuel, de MacMillan. Prelúdio para “A tarde de um fauno”, de Debussy, e Quadros de uma exposição de Mussorgsky completam o repertório.

Veni, veni, Emmanuel  James MacMillan (Kilwinnig, Escócia, 1959) 

Veni, veni, Emmanuel foi encomendada por Christian Salvesen e estreada pela Orquestra de Câmara Escocesa sob regência de Jukka-Pekka Saraste e solo de Evelyn Glennie, em 10 de agosto de 1992, no Prom 27, no Royal Albert Hall. O concerto inspira-se no cantochão Veni, veni, Emmanuel, cujo refrão traz as palavras “Gaude, Gaude” (Regozijai, Regozijai) cantadas na forma de uma nota breve seguida de uma nota longa e outra nota breve seguida de outra nota longa.

Essa estrutura rítmica (breve-longa-breve-longa) sugere ao compositor a batida do coração e é o elemento gerador de toda a peça, figurando assim em todos os seus compassos. A composição do concerto deu-se entre o primeiro domingo do Advento de 1991 e o domingo de Páscoa de 1992. Essas datas representativas do calendário cristão delimitam ainda sua estrutura, que explora inicialmente a dimensão teológica contida na noção de Advento e encerra-se, através daquilo que o compositor nomeia um “desvio litúrgico”, com uma alusão à Páscoa. Comungam assim a promessa de libertação dos fiéis do medo, da angústia e da opressão e a imagem do Cristo ressuscitado.

Prelúdio para “A tarde de um fauno” Claude Debussy (Saint-Germain-em-Laye, França, 1862 – Paris, França, 1918)

Se revoluções podem chegar suaves como o sopro de uma flauta, o Prelúdio para “A Tarde de um fauno” de Claude Debussy é a prova cabal disto. Sobre ela, Debussy escreveu: “A música deste Prelúdio é uma ilustração muito livre do belo poema de Stéphane Mallarmé. Ela não reivindica ser uma síntese dos versos, mas sim uma sucessão de cenas pelas quais os desejos e sonhos do fauno avançam no calor de uma tarde. Então, exausto de perseguir o caminho por medo das ninfas e náiades, ele abandona a si mesmo em um sono inebriante, cheio de sonhos, e finalmente percebeu-se em plena posse no meio da natureza universal”. A estreia deixou todos deslumbrados, tanto que os parisienses que estavam na Société Nationale de Musique naquele dia 22 de dezembro de 1894 insistiram para que a obra fosse imediatamente repetida. 

Evelyn Glennie      Foto/Philipp Rathmer

Quadros de uma exposição Modest Mussorgsky (Karevo, Rússia, 1839 – São Petesburgo, 1881)

Composta por Mussorgsky para seu amigo Viktor Hartmann, talentoso pintor que morreu em 1873, aos 39 anos. No ano seguinte, a Associação dos Arquitetos de São Petersburgo realizou uma exposição com aproximadamente 415 obras do pintor, a qual Mussorgsky visitou inúmeras vezes. Desejoso de homenagear o amigo, ele compôs, no mesmo ano, a suíte para piano intitulada Quadros de uma exposição.

A obra é estruturada em dez quadros e cinco caminhadas (Promenade). Os quadros são inspirados nos desenhos, croquis e pinturas de Hartmann; as Promenades são o próprio compositor que caminha pela exposição. Após a morte de Mussorgsky, em 1881, a obra alcançaria um sucesso estrondoso no mundo inteiro e inúmeros compositores se empenhariam em orquestrá-la. Um deles foi o brasileiro Francisco Mignone, mas pouco se sabe sobre essa belíssima orquestração.

Maestro Fabio Mechetti: Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais desde sua criação, em 2008, Fabio Mechetti posicionou a orquestra mineira no cenário mundial da música erudita.  Natural de São Paulo, Mechetti serviu recentemente como Regente Principal da Filarmônica da Malásia, tornando-se o primeiro regente brasileiro a ser titular de uma orquestra asiática. É Mestre em Regência e em Composição pela Juilliard School de Nova York e vencedor do Concurso Internacional de Regência Nicolai Malko, da Dinamarca. 

Evelyn Glennie, percussão: Evelyn Glennie é a primeira pessoa na história a criar e manter com sucesso uma carreira em tempo integral como percussionista solo. Ao longo dos anos, tem se apresentado no mundo todo com os principais regentes, orquestras e artistas.

Evely Glennie  Foto/Jim Callaghan

Executou o primeiro concerto de percussão na história do BBC Proms, em 1992, no Royal Albert Hall, ajudando a popularizar os concertos para o instrumento. Gravou mais de 30 discos, tem mais de 200 obras comissionadas em seu nome e já recebeu mais de 80 prêmios internacionais, incluindo o Polar Music Prize, dois Grammy e uma indicação ao BAFTA.

O documentário Touch the Sound e uma inspiradora palestra no TED Talks mostram a relação de Evelyn, com a música, e com a percussão em especial. Nascida na Escócia, foi convidada a se apresentar na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e recebeu o título de “Dame”, o maior da Ordem do Império Britânico, em 2007. 

Estes concertos são apresentados pelo Ministério da Cultura e Governo de Minas Gerais. O concerto da série Vivace, é apresentado também pelo BNDES.

As palestras sobre obras e compositores, promovidas pela Filarmônica antes das apresentações, acontecem entre 19h30 e 20h. O convidado das duas noites é o percussionista da Filarmônica de Minas Gerais e curador dos Concertos Comentados, Werner Silveira.

Serviço: 

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Série Allegro: 29 de novembro de 2018, quinta-feira, às 20h30.  Série Vivace: 30 de novembro de 2018, sexta-feira, às 20h30

Sala Minas Gerais: Rua Tenente Brito Melo, 1090, bairro Barro Preto, Belo Horizonte/MG

Ingressos:  R$ 44 [Coro]. R$ 50 [Balcão Palco]. R$ 50 [Mezanino]. R$ 68 [Balcão Lateral]. R$ 92 [Plateia Central] e R$ 116 [Balcão Principal].  Meia-entrada: a estudantes, maiores de 60 anos, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência, de acordo com a legislação. Cartões aceitos: Amex, Aura, Redecard, Diners, Elo, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron.

Informações: 31 3219-9000 ou www.filarmonica.art.br