Os três andares do grande prédio da antiga Secretaria do Estado da Educação, localizado nos arredores da Praça da Liberdade e onde hoje se instalou o Museu das Minas e do Metal (MMM) é iluminado por compridas e extensas janelas. Seu interior foi todo preservado, mas também recebeu a intervenção de modernas e minimalistas construções, mesclando com harmonia à antiga arquitetura.

No primeiro pavimento, intitulado Liberdade, um amplo e iluminado galpão dá as boas vindas às cerca de 70 mil pessoas que anualmente visitam o Museu. Logo na entrada, já nos surpreendemos com diferentes perspectivas visuais, que favorecem bons ângulos na hora de fotografar, sempre sem o uso do flash.
 
O primeiro andar do MMM foi circularmente dividido em 8 espaços. Um dos vários monitores do museu, Rafael é quem nos acompanha durante a visita. O primeiro espaço, “Inventário Mineral”, abriga 430 amostras de minerais, gemas e meteoritos, parte do grande acervo do Museu de Mineralogia Prof. Djalma Guimarães. 
 
No extenso corredor, pequenas janelas e portas se abrem para que possamos ouvir nos alto-falantes algumas curiosidades e descrições de propriedades físicas dos minerais.
Inventário Mineral
Amostras parte da exposição “Inventário Mineral”.
Em outro espaço, “Chão de Estrelas” os visitantes são levados a conhecer visualmente alguns dos minerais que compõem nosso subsolo.
Lunetas ampliam os componentes, que ganham mais riqueza de detalhes.
Interativo e bem desenvolvido, o Museu das Minas e do Metal é um espaço destinado a todas as idades. A tecnologia funciona a favor da interatividade e o que para muitos pode ser tedioso, aqui, transitar pelas salas e se envolver com as atividades é divertido e muito educativo.
 
A grande atração do museu ficou por conta da sala “Ouro, Mina de Ouro Velho” na qual o visitante é transportado a uma “viagem” por dentro da Mina, localizada no atual município de Nova Lima e que durante quase 300 anos foi explorada com a retirada do ouro, descoberto no local no final do século XVII. A simulação, que dura alguns minutos, nos faz sentir um pouco a sensação de estar embaixo da terra.
Simulador “Ouro, Mina de Ouro Velho”.
No segundo pavimento, as salas  leva-nos a um passeio político-econômico explicando a importância dos metais para a economia mineira, nacional e mundial. Todo o conteúdo é importante para entermos que “a atividade mineradora é a maior provedora de materiais utilizados pela humanidade”, como nos explica Rafael. “Por isso foi tão importante a concepção de um Museu como este para a cidade de Belo Horizonte, capital do estado que tem na mineração uma das suas maiores lucratividades”, finaliza. 
Língua Afiada, peça símbolo do MMM, feita em aço inoxidável.


Ainda no mesmo andar, outras atrações interativas prendem a atenção do visitante, uma “máquina”que mede a quantidade de metal no nosso corpo e uma bela instalação artística, com luzes que mostram os componentes da tabela química periódica.

No final do passeio, uma pausa na loja de departamentos do Museu e depois um cafézinho com uma sobremesa no MMM Café. 

A tarde cultural no Museu das Minas e do Metal terminou com esta vista!

Fim de tarde na Praça da Liberdade.


Museu das Minas e do Metal
Praça da Liberdade, snº, Lourdes.
Prédio Rosa

Horário de funcionamento e preços das entradas você encontra aqui.

Compartilhe… Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone